GGCT apela a residentes para suspenderem viagens ao Egipto


2011-01-29 19:36

Fonte : Gabinete de Gestão de Crises do Turismo

Face às manifestações e conflitos de violência ocorridos em várias cidades do Egipto, o Gabinete de Gestão de Crises de Turismo (GGCT) apela aos residentes de Macau para estarem atentos à evolução da situação e a suspenderem os seus planos de viagem.

 

Segundo informações do sector de turismo, actualmente não existem excursões de Macau nem residentes do território integrados em excursões organizadas no exterior para o Egipto. Contudo, um grupo de cerca de 20 pessoas de uma excursão de Hong Kong, encontra-se retido no país em questão devido à suspensão de funcionamento do aeroporto, estando a respectiva agência responsável pela organização do programa de viagem a tentar organizar o seu regresso, o mais rápido possível, ao local de partida da viagem, a Região Administrativa Especial vizinha.

 

Nos últimos dias, têm-se registado manifestações e protestos na capital e em algumas regiões do Egipto, que contaram com conflitos violentos entre os manifestantes e  militares, das quais resultaram feridos e mortos.

 

Entretanto, as autoridades egípcias já decretaram um recolher obrigatório em todo o país. As telecomunicações móveis e por Internet também foram suspensas, mas a situação do país encontra-se a evoluir.

 

Tendo em conta tais circunstâncias e perante a aproximação das férias do Ano Novo Lunar, o GGCT apela a todos os residentes de Macau para terem em atenção a evolução da situação e ponderarem a suspensão de eventuais planos para se deslocarem ao Egipto.

 

Até ao momento, o GGCT recebeu um pedido de informação via telefone sobre o estado actual no referido país. Em caso de necessidade, os cidadãos podem entrar em ciontacto através da linha aberta do turismo: 853-28333000.

 

Entretanto, o Ministério dos Negócios Estrangeiros da China já emitiu  um comunicado aos cidadãos, cujo texto integral é o seguinte:

 

"Recentemente, registou-se uma escalada de protestos e manifestações na capital e em algumas zonas do Egipto, com conflitos violentos entre os manifestantes e os militares, que provocaram feridos e mortos. As autoridades locais decretaram o recolher obrigatório nas principais cidades do país, estando a situação em desenvolvimento.

 

O Departamento dos Assuntos Consulares do Ministério dos Negócios Estrangeiros e a Embaixada da China no Egipto alertam aos cidadãos, que tencionam deslocar-se ao referido país, para terem atenção ao desenrolar da situação e ponderar cuidadosamente eventuais planos de viagem; para os cidadãos que já se encontram no Egipto, devem reforçar a prevenção e segurança, reduzir o número de saídas desnecessárias, evitarem deslocar-se aos locais onde ocorram os incidentes ou lugares com agrupamentos de pessoas e ter o maior cuidado com a própria segurança. Em caso de emergência devem comunicar atempadamente às autoridades policiais ou solicitar apoio à embaixada nacional no mencionado país (telefone de contacto, 24 horas por dia: 0020-2-27361219).

 

Mais, segundo se sabe, a Internet e as redse de telecomunicação móveis foram suspensas, mas apela-se aos cidadãos da China para se manterem calmos e tentarem entrar em contacto com as suas familias ou a embaixada através de telefones fixos."

 



-- Fim --